Vereador de Mantena, Marcelinho do Lico foi detido após se envolver em acidente de trânsito em Valadares

O vereador de Mantena, Marcelo Alves de Oliveira, o Marcelo do Lico, foi detido na noite de sábado, 15/07/2017, por suspeita de embriaguez em Governador Valadares, após se envolver em um acidente de trânsito.

Leia a ocorrência sobre o fato ocorrido:

Número do Registro 2017-016158225-001

 Vereador campeão de votos na Eleição 2016, “Marcelinho do Lico”

“Acionados, quando nos foi passado que havia ocorrido um acidente de trânsito sem vítima e que possivelmente um dos condutores estaria com sintomas de embriaguez. No local, identificamos os envolvidos e os veículos, os quais eram: Marcelo Alves de Oliveira, o qual conduzia o veículo Toyota/Corolla XEI, cor prata, placa: ODK-9644, V1; Raphaela Cristina Pinheiro conduzia a caminhonete VW/Amarok, cor prata, placa: HNV-3994, V2.

Segundo o condutor do V1, Marcelo Alves de Oliveira, este seguia pela rua João Dias Duarte, sentido crescente, quando no cruzamento com a rua Treze de Maio, parou seu veículo, pois no local há semáforo e na ocasião estava fechado, momento que sentiu um impacto na parte de trás de seu automóvel, quando percebeu que o V2 havia chocado em seu veículo.

A condutora do V2, Raphaela Cristina Pinheiro, nos relatou que seguia pela rua João Dias Duarte, sentido crescente, ocasião em que havia imobilizado seu veículo na via, pois o sinal estava fechado, momento que o V1 seguia a frente deu marcha ré, vindo a chocar na parte da frente de sua caminhonete. Disse ainda que após o acidente, desembarcou e foi em direção ao V1, momento que percebeu que o condutor possivelmente estaria embriagado.

O condutor Marcelo Alves de Oliveira foi submetido ao teste do etilômetro, resultando em 0,86 miligramas de álcool por litro de ar expelidos pelos pulmões, posteriormente foi feito a contraprova, a qual resultou em 0,64 miligramas de álcool por litro de ar expelidos pelos pulmões.

Diante ao exposto, foi dado voz de prisão ao condutor Marcelo Alves de Oliveira por embriaguez ao volante, sendo encaminhado até ao hospital regional, onde foi atendido pelo médico de plantão.

As medidas administrativas tomadas foram as seguintes: confecção de um auto de infração, o qual será encaminhado posteriormente via ofício pelo pelotão de trânsito da 44ªCia/6ºBPM; CNH recolhida e o veículo liberado para a custodiante Chirlaine Cristina de Lacerda, a pedido do condutor/proprietário. Saliento ainda que os condutores fizeram acordo em relação aos danos causados nos veículos, ficando o condutor Marcelo Alves de Oliveira responsável em reparar as avarias do V1.”

 

 

O Vereador disse ainda em sua rede social particular (facebook) os seguintes dizeres: “Gostaria de agradecer as centenas de amigos que durante todo o dia de hoje fizeram questão de vir à minha casa ou enviar mensagem se solidarizando com o fato ocorrido comigo, na noite de ontem, em Governador Valadares. Contrariamente ao que vem sendo divulgado, em momento algum fui preso pois tão somente o que ocorreu foi uma colisão entre o meu veículo e de uma outra condutora. Fui à Delegacia, realizei todos os procedimentos necessários nesse caso e me prontifiquei a pagar pelo dano ao veículo da outra condutora, que imediatamente aceitou. Um acidente, graças a Deus sem qualquer vítima e somente com danos materiais que pode ocorrer com qualquer um, a qualquer momento. Estou a disposição da Justiça para todo e qualquer esclarecimento e pagarei à ela seja da forma que for prevista em Lei se assim julgarem ser necessário.”

A LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997   que Institui o Código de Trânsito Brasileiro nos diz que:


“Art. 306.  Conduzir veículo automotor com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool ou de outra substância psicoativa que determine dependência:          (Redação dada pela Lei nº 12.760, de 2012)

 Penas – detenção, de seis meses a três anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor.

I – concentração igual ou superior a 6 decigramas de álcool por litro de sangue ou igual ou superior a 0,3 miligrama de álcool por litro de ar alveolar; ou           (Incluído pela Lei nº 12.760, de 2012)

II – sinais que indiquem, na forma disciplinada pelo Contran, alteração da capacidade psicomotora.           (Incluído pela Lei nº 12.760, de 2012)

  • 2°         A verificação do disposto neste artigo poderá ser obtida mediante teste de alcoolemia ou toxicológico, exame clínico, perícia, vídeo, prova testemunhal ou outros meios de prova em direito admitidos, observado o direito à contraprova.           (Redação dada pela Lei nº 12.971, de 2014)    (Vigência)
  • 3°   O Contran disporá sobre a equivalência entre os distintos testes de alcoolemia ou toxicológicos para efeito de caracterização do crime tipificado neste artigo.           (Redação dada pela Lei nº 12.971, de 2014)   (Vigência)

OBS: Este mesmo espaço está a disposição para que o referido vereador possa se pronunciar a respeito do acidente ocorrido com ele.

Fonte: http://gazetadonorte.com/?p=136769 (adaptado)

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9503.htm

Comente

© 2013 - Desenvolvido por Webmundo Soluções Web - Todos Direitos Reservados.